outubro 09, 2006

Vídeos do YouTube no iPod e no PDA

Já comentei aqui como fazer para assistir vídeos do YouTube no seu Pocket PC, por streaming. Mas percebo que o que as pessoas querem mesmo é salvar os vídeos desse popularíssimo serviço em suas máquinas, antes que sejam retirados do site. Ou antes de que o próprio site vá à falência, como costuma-se especular ultimamente...

Para quem usa plataforma Mac, o aplicativo PodTube permite que o iTunes capture vídeos do serviço online e os salve em sua biblioteca, permitindo que sejam posteriormente transferidos para o iPod. No ambiente Windows, quem faz isso é o iTube. Os vídeos podem ser vistos tanto no iTunes quanto no iPod.

Para quem quer simplesmente baixar os vídeos no seu computador, o aplicativo de escolha é o vDownloader, que funciona não só com o YouTube mas também outros serviços de vídeo online, como o do Google. Dá para salvar nos formatos AVI, MPEG ou PSP, escolhendo-se a resolução e o bitrate, e depois assistir em qualquer player compatível com esses formatos. O resultado final permite visualização posterior em Palms e Pocket PCs, através do player TCPMP. Para ganhar agilidade, o melhor é usar um leitor de cartões e jogar os arquivos direto no cartão de memória do seu PDA ou smartphone. Transferências por HotSync ou ActiveSync para esse tipo de conteúdo são penosas.

Quem usa o Windows Media Player e tem smartphone ou PDA com Windows Mobile pode organizar uma biblioteca e usar a opção de sincronismo, nativa no próprio programa. É bastante prática para quem tem muito conteúdo de mídia para transportar.

Se você tem uma pancada de vídeos dos mais diversos formatos e gostaria de converter para quaisquer outros formatos, recomendo que usem o Media Convert. Essa utilíssima dica ouvi no podcast dos rapazes do PapoTech.

postado via wi-fi

escrito por Bia Kunze em Mac Sem Fio às 01:26 PM | Comentários (5) | Citações

setembro 25, 2006

Spammers acima de qualquer suspeita

Nessa época de campanha eleitoral todo mundo deve estar recebendo um ou outro spam de candidatos por aí. E você certamente fica com a pulga atrás da orelha: "como esse cão conseguiu meu e-mail para mandar lixo, já que não divulgo meu e-mail na internet?"

Nesse post ensino como "caçar" os safados que vendem seus dados pessoais por aí. Mas prepare-se... você vai levar um tremendo susto ao constatar que instituições "acima de qualquer suspeita" também vendem seus dados pessoais para spammers.

Pois bem, acabei de matar a charada. Recebi um spam de um candidato a deputado através de um e-mail que uso somente para o Conselho Regional de Odontologia do Paraná. Pensando bem, não foi lá uma "grande" surpresa: na época das eleições do próprio CRO, recebi inúmeras mensagens de ambas as chapas concorrentes, não só fazendo propaganda como também mandando baixarias a respeito do adversário.

Mesmo assim, que "ótima" notícia para uma segunda-feira, descobrir que a entidade máxima que regulamenta o exercício da minha profissão vende meus dados pessoais, não?

Engraçado que, depois de eleito, ninguém gosta de divulgar por aí seus feitos e realizações. O CRO-PR é o pior exemplo. Tudo é feito às escusas. Só publicam uma revista que não faz nada além de propaganda e "feitos" do próprio Conselho, como jantares e condecorações a seus ilustríssimos diretores. Nunca mandaram e-mails aos profissionais - pelo menos não para mim - para mandar boletins, balancetes, comunicados e notícias inerentes a projetos de lei ligados à Odontologia. Pra que e-mail, então? Para criar listas de associados e vendê-las, claro...

Se você tem alguma profissão regulamentada por lei e regida por Conselhos Federais ou Regionais, vá fundo e investigue se os seus dados pessoais não são vendidos também...

Como rastrear a origem do spam

Eu tenho domínio e servidor próprio, tudo fica mais fácil. Configuro um "catch-all" numa determinada conta que só uso para tal fim. Toda vez que preciso fornecer um email para uma organização ou empresa qualquer, faço assim:

receitafederal@dominio.com.br, cro@dominio.com.br, editoraabril@dominio.com.br

Se você tem uma conta do Gmail, sabia que pode fazer isso também? Crie "apelidos" e use-os quando precisar divulgar seu e-mail num formulário de uma empresa ou instituição qualquer, usando o símbolo "+". Tudo o que vier depois do sinal funcionará como uma tag. Por exemplo: se o seu email é mariazinha@gmail.com, pode criar "variações" atreladas à sua conta principal, por exemplo:

mariazinha+receitafederal@gmail.com, mariazinha+submarino@gmail.com, mariazinha+editoraabril@gmail.com

Assim fica fácil você saber em que "mãos" seus dados pessoais circulam.

Infelizmente não dá para impedir a chegada de spam, mas com certeza já ajuda bastante saber o responsável pelo vazamento da sua privacidade.

postado via wi-fi

escrito por Bia Kunze em Dicas às 02:40 PM | Comentários (6) | Citações

setembro 14, 2006

Google Livros

Dá para acreditar? Hoje tirei o dia para fazer algumas coisas fora da clínica e inevitavelmente peguei algumas filas. Nesse momento, estou na fila do supermercado relendo O Pequeno Príncipe no meu PDA. Devo ter lido esse livro quando tinha uns 7 ou 8 anos. Não, não virei miss... foi um professor da faculdade que pediu. Nada como uma leitura oportunista na sala de espera do médico ou na fila do supermercado. Comigo não existe momento chato e estressante...

Falando em livros, tem muita coisa boa no Google Livros. Ontem fiquei algumas horas caçando coisas por lá. Praticamente tudo que hoje é de domínio público pode ser achado. Aproveitem!

postado via gprs

escrito por Bia Kunze em Web às 03:25 PM | Comentários (2) | Citações

setembro 06, 2006

Dica: FlexMail 2007

Peço milhões de desculpas às pessoas com quem estou com a correspondência eletrônica atrasada, mas minha semana foi punk, tudo está relativamente em ordem agora. O probleminha com meu gerenciador de e-mails também já foi resolvido. O FlexMail 2007 saiu do beta, já instalei a versão final. O aplicativo está EXCELENTE.

Além de estar bem mais leve e ágil, agora é possível sincronizar com o servidor os indicativos de respostas, encaminhamentos e flags - conforme eu já havia dito aqui. Tive que pagar o upgrade, pois minha licença já tinha quase dois anos. Mesmo assim, o fiz com MUITO gosto.

Minha pasta de dúvidas de leitores está atolada de mensagens não respondidas das últimas semanas. Peço um pouquinho de paciência que a partir dessa semana coloco tudo em dia. Como eu fiquei no Messaging nativo nesse meio tempo, e ele não suporta sincronismo de status das mensagens, talvez eu responda de volta algumas mensagens que já tenha respondido. Não se assustem, eu não fiquei gagá, ok?

postado via wi-fi

escrito por Bia Kunze em PDA às 04:52 PM | Comentários (2) | Citações

agosto 12, 2006

Não gaste R$ 6000 no litro de tinta de impressora

Um litro de tinta de impressora custa R$ 6000. Depois que a ficha caiu, eu não me revoltei, simplesmente. Eu me alarmei! Muita gente que quebra vidros de carros para roubar aparelhos de som vai se tocar que está perdendo dinheiro. O negócio é arrombar escritórios e roubar cartuchos de tinta!

Brincadeiras à parte, fico estupefata de constatar que, em plena era da documentação eletrônica, muita gente se sente dependente ainda do papel e dos cartuchos. Minha mãe até hoje imprime artigos da internet para ler depois, e os faz como as crianças do século passado faziam com suas pastinhas de recortes.

Felizmente hoje há maneiras de não desperdiçar nosso dimdim com esse líquido tão precioso.

Eu só uso minha impressora quando realmente preciso. Ou melhor, quando sou exigida. Hoje, é apenas para os receituários dos pacientes, que ainda precisam de um papel em mãos para se dirigirem à farmácia. Fora isso, nem para a faculdade. Na UnicenP a maioria dos meus professores tem uma mentalidade totalmente compatível com o mundo digital. Se algum trabalho meu tiver que ir para o papel, os alunos mandam imprimir dos próprios laboratórios para a Central de Impressão. Que só usa impressoras a laser. Pudera, o que se podia esperar do Grupo Positivo?

E você? Gasta racionalmente sua tinta? O que você faz quando paga uma conta ou fatura via internet banking? Imprime o comprovante e grampeia na conta? Fala sério!

Ano passado comentei aqui no site que há maneiras de guardar seus recibos, documentos e páginas da web num formato universal, que funciona em PDAs e celulares, que não gera perda na formatação, usando o RepliGo. O único problema é compartilhar os arquivos, já que tudo fica no formato RGO. Mas isso também é possível usando o formato PDF. Há vários programinhas gratuitos por aí, que criam uma impressora virtual e "imprimem" tudo o que você quiser em arquivos PDF. Excelente.

Assim, converto todos os meus comprovantes, recibos, demonstrativos de pagamentos e tabelas de referência em PDF. Mas textos e páginas da web, colunas de jornais, artigos científicos... ainda prefiro o RepliGo, que uso desde 2002. Ele funciona bem mais redondinho em PDAs e smartphones para esse fim. Leio meus artigos com conforto visual, posso adicionar anotações, bookmarks e até sublinhar trechos com marca-texto.

P.S.: Aproveitando a deixa... ok, já falei isso aqui milhares de vezes, mas... o Reader da Sony tá demorando MUITO! Não agüento de expectativa...

postado via wi-fi

escrito por Bia Kunze em Dicas às 02:52 PM | Comentários (20)

junho 12, 2006

Embarcando a família na onda VoIP

Você já está mais do que familiarizado com as maravilhas da tecnologia VoIP, mas sua conta de telefone não diminui? Talvez esteja na hora de colocar a família toda na onda, inclusive a vó Maria, que acha que "computador é coisa de retardado".

Chegou a hora de fazer um tutorial "VoIP para a família", inclusive selecionando os IPphones mais newbie-friendly (que neologismo heim?) do mercado.

Existem vários 'Skypefones' chegando agora às lojas. Mas obviamente eles precisam de uma rede para funcionar. Há duas opções:

1. Plugando o aparelho na USB do computador (que deve estar ligado, claro)
2. Usando uma rede wi-fi

Aparelhos que usam rede wi-fi são bem mais práticos pela liberdade que proporcionam. Mas existem uns similares a telefones sem fio. Ainda que precisem ser plugados ao computador, pelo menos se tem mais liberdade de movimento.

Há uma série de 'IPphones' à venda hoje, cada vez mais parecidos com telefones convencionais. Mas para que sua tia pare de fazer DDD pra falar com o neto do Tocantins, é preciso que esse aparelho seja o mais independente possível do desktop. Ou mesmo livre de configurações chatas. Enfim, que tenha cara de "telefone normal", senão ela desiste.

* Solução econômica - Hoje você encontra diversos IPphones básicos nas principais lojas de informática do país. Estão com preço bastante acessível, a partir de R$ 160, mas têm a desvantagem de não proporcionar mobilidade. Ele fica atrelado ao PC pela USB. Mas já ajudam bastante, quando você recebe uma chamada não precisa sair correndo em busca de fones, microfones e mexer no PC para atender. Basta o toque de um botão.

* Jeitão de telefone sem fio - Aparelhos como o CIT200 (foto acima) também se ligam à USB do computador, mas com uma vantagem: funcionam como telefones sem fio. Assim, você só pluga a base para recarga na tomada e o receptor USB no PC. O aparelho poderá circular pela casa à vontade. Hoje considero essa a melhor solução custo-benefício para quem quer um IPphone e "adestrar" a família para usá-lo, sem complicações. Leia aqui um review completo do CIT200.

* Wifi-fone com cara de celular - Recentemente inseridos no mercado, os IPphones que funcionam por wi-fi ainda estão caros, mas podem ser um belo investimento e não será preciso trocar de aparelho tão cedo. Use a rede wi-fi que você tem em casa ou no escritório e esqueça o PC. O modelo SPH101, da Netgear, até jeitão de celular tem, com um design nota 10 e telas coloridas totalmente Skype-friendly. Um mimo.

* Híbridos num futuro próximo - A Brasil Telecom é uma operadora que já avisou que vai disponibilizar esses equipamentos. Eles funcionam como um celular comum, habilitado pela sua operadora. Quando você encontra um access point wi-fi, você se loga na rede e pode receber e fazer chamadas pela tecnologia VoIP. Esses sim prometem!

Sinto muito, pessoal, mas agora vou bancar a metida: quem tem um "Pocket PC Phone" não precisa esperar. Já pode fazer isso tranquilamente, basta instalar o programinha Skype para Windows Mobile e aproveitar! Dá para andar pela casa com ele no bolso ou andar nas ruas, por aí, aproveitando a oportunidade quando se encontram hotspots...


postado via gprs

escrito por Bia Kunze em Dicas às 03:52 PM | Comentários (2)

março 24, 2006

Receita Federal vende dados pessoais

O publicitário paulista Ailton Tenório da Silva estava com a pulga atrás da orelha querendo saber como recebia tanta propaganda indesejada em seu e-mail e em casa.

Em 2003 teve uma idéia. Adicionou letras ao final de seu endereço físico e criou endereços específicos de correio eletrônico para cada cadastro que fazia. Inclusive na declaração de Imposto de Renda.

Até que... surpresa! Ele passou a receber spams variados na sua conta de e-mail fornecida somente à Receita Federal. E, um belo dia, ele recebeu no endereço fornecido também exclusivamente à Receita (o nome de sua rua acrescentando as letras B, I e R no final) uma correspondência oferecendo cartão de crédito.

História completa aqui.

Eu faço isso também. Cada vez que tenho que botar meu e-mail em algum formulário num site qualquer (de procedência séria ou não), coloco o meu email como nomedosite arroba odontopalm.com.br. A do endereço físico não conhecia, mas vou adotar.

Já peguei muita gente de "alta reputação" por conta desse truque no email. Mas juro que nunca imaginei que até a Receita Federal fizesse isso, e foi o que me deixou estarrecida. Isso em tese deveria ser punido. Mas por quem?

postado via gprs

escrito por Bia Kunze em Web às 05:14 PM | Comentários (13)

março 23, 2006

Podcasts móveis

Foi lançada pela empresa VoiceAtom a solução Audiobay para podcasters móveis, usuários de Pocket PCs. Por U$ 25, adquire-se uma solução completa com gravador, publicador, gerador de rss e hospedagem por 12 meses.

No meu modo de vista, é uma solução estilo "podcast for dummies". Pensando bem, dummies mal sabem o que é podcast, fazer então, está fora de cogitação... Já os não-dummies preferem montar seus sites e criam seus próprios rss. Ou aprendem na marra. Para gravar e subir o podcast, usam-se aplicativos de gravação e ftp gratuitos. Mas enfim, fica a dica para quem quiser experimentar.

postado via gprs

escrito por Bia Kunze em PDA às 03:13 PM | Comentários (0)

março 18, 2006

Dica: Mobilicio.us

O Del.icio.us, um serviço online de catálogo e compartilhamento de bookmarks, é bem popular hoje na internet.

A novidade agora é o Mobilicio.us, serviço já no ar há alguns dias, que torna o acesso aos seus bookmarks do Del.icio.us viável nas telinhas diminutas e de PDAs e celulares.

Como eu andava carente de conexão, só consegui testá-lo agora.

postado via PDAphone

escrito por Bia Kunze em Dicas às 09:56 AM | Comentários (7)

março 13, 2006

Dica: gadgets na educação

O notebook de U$ 100 do MIT já é realidade. O pai do laptop popular, Nicholas Negroponte, afirma que o presidente Lula já acertou para ano que vem a distribuição de 1 milhão desses computadores portáteis para escolas públicas. Lula, por sua vez, manifestou desejo de vê-lo produzido aqui.

Em tempos onde nunca se falou tanto em gadgets na educação, fica uma dica interessantíssima de leitura e referência no tema: o blog Teaching with gadgets, feito por um professor que relata suas experiências em mobilidade, apostando em PDAs e Tablets nas salas de aula. Vale a pena conferir!

postado via PDAphone

escrito por Bia Kunze em Dicas às 10:09 PM | Comentários (6)

março 12, 2006

Dica: Salling Clicker

Que tal ouvir suas músicas do PC ou Mac no seu PDA, smartphone ou celular, via bluetooth ou wi-fi? O aplicativo Salling Clicker transforma seu portátil numa jukebox móvel.

Usei por um tempinho como teste, mas tornou-se inútil quando adquiri o iPod. Eu o usava basicamente para ouvir músicas, mas vale ressaltar que esse programinha espetacular funciona com uma variedade imensa de mídias. Roda em conjunto não só com o iTunes (foto acima), mas também com WMP, BSPlayer e até MS PowerPoint. Exato, dá para fazer apresentações remotas com ele!

O Salling Clicket é shareware e funciona com uma grande variedade de portáteis. Vale a pena experimentar!

postado via laptop

escrito por Bia Kunze em Dicas às 07:13 PM | Comentários (4)