setembro 23, 2008

Review: Acer AspireOne

Sim, os UMPCs, ou netbooks, ou mini-notebooks ou sub-notebooks, ou o raio do nome que tiverem (para que tantos?) são o maior sucesso. Agora, está na hora de avaliar o Acer AspireOne!

Por Erick Pessoa, de Berlim

Antes de falar sobre o Acer Aspire One em si, é bom explicar por que eu investi em um netbook. Eu já tenho um desktop (iMac 24”), tenho um Macbook Pro (15”) e um iPhone (eu sei, um verdadeiro macmaníaco).

Quando comprei há 2 meses atrás o iPhone, pensei que ele fosse suprir a minha necessidade de ter algo extremamente portátil para escrever textos, acessar sites e ler e-mails. Tudo isso é possível, menos digitar longos textos. Não adianta, por mais interessante que seja o teclado na tela, para mim é inviável digitar um blog, por exemplo. Um e-mail rápido ainda vai mas qualquer coisa com mais de três parágrafos se torna cansativo demais. Eu estava atrás de algo que fosse extremamente portátil mas ao mesmo tempo me permitisse digitar artigos e navegar tranquilamente na internet. Aí entra o netbook nesta história.

Para quem não sabe ainda, netbook define computadores extremamente portáteis, com tela entre 7 até 10 polegadas, não pesando muito mais que 1 quilo e meio e com uma boa autonomia de bateria. Tudo isso por um preço muito accessível, bem abaixo de um notebook/laptop.

O primeiro a lançar um netbook neste estilo foi a Asus com a sua linha Eee, que hoje parece até Gremlins tamanho é o número de modelos disponíveis. Com o imenso sucesso, todas as outras empresas ficaram de
olho grande e começaram a lançar seus modelos . A primeira grande empresa de laptops a meter o dedo neste nicho foi a Acer, com o seu Acer Aspire One.

Confesso que comprei o meu meio quase sem querer. Estava vendo o preço no Ebay alemão e dei um lance despretensioso, um pouco acima do preço inicial sem qualquer expectativa de ganhar. Não é que acabei levando?
O modelo que comprei encaixa no que eu tinha em mente; algo extremamente leve (960 gramas) e barato (270 euros). Eu queria também um teclado confortável para digitação e uma boa autonomia de bateria.

Não vou comparar com outros modelos pois não tive a oportunidade de ter em minhas mãos por tanto tempo (já estou usando o meu há 10 dias) então vou falar apenas das minhas impressões como um usuário comum.

Sofro com o teclado pois o layout dele é alemão (tem o Ü,Ö,ß e outros caracteres alemães, ainda procurando o Ç) mas de qualquer maneira, o teclado é ótimo de digitar, quase tão bom quanto o do meu notebook normal. Se tivesse que mudar algo, eu inverteria a parte “gorda” do ENTER pois volta e meia ainda aperto o # em vez do ENTER.

O meu AspireOne branco (carinhosamente apelidada de Nicole) tem 512 MB de memória, espaço de “disco” de 8 GB Flash, WiFi, saída VGA, expansão para o espaço de armazenamento, 3 USBs e rede Ethernet. Suas dimensões
são 3,3cm X 24,9cm X 17,1cm. O tamanho já impressiona, parece de brinquedo e cabe tranquilamente na minha bolsa estilo carteiro que uso por aqui em Berlim.

Antes que você reclame do tamanho de HD dele (apenas 8) vale lembrar que ele não roda Windows e sim uma versão adaptada da Acer de Linux que tem uma interface gráfica meio engessada mas que é ótima
para os usuários bem novatos. Se você for craque em Linux, dá para alterar relativamente fácil. Como eu sou um pouco melhor que novato no Linux, lendo alguns poucos sites já instalei Skype, me “dei” acesso à interface de administração e optmizei a utilização de disco. Já encomendei também um cartão de memória SDHC para expandir o espaço de “disco” mas até agora não estou sofrendo com isso pois o meu uso principal ainda é escrever textos e acessar internet.

A tela é cristalina e mesmo quando diminuo o brilho ao mínimo para economizar bateria, ainda é fácil a leitura. Já vem com softwares pré-instalados que facilitam a vida ,como o OpenOffice (editor de texto e planilha compatíveis com o Microsoft Office) e Media Player também.

Um dos itens mais importantes para mim é o que poderia ser melhor. Atualmente a bateria está me dando 3 horas de uso com o WiFi ligado (que diga-se de passagem, pode ser ligado e desligado via um botão na frente). Eu gostaria de mais e já vi que a Acer vai lançar uma bateria com 6 células, que deve dobrar a capacidade do netbook.

Outros fru-frus legais e que funcionam bem é sua câmera VGA embutida (devidamente testada no Skype e funcionando perfeitamente) , os speakers (atendem o que se pede), microfone embutido e entrada para headphone.

Um outro ponto positivo para mim sobre o Acer é o fato de como ter sido um dos primeiros a ser lançado pelos grandes e com um bom preço, já existem vários sites mostrando como upgrade o bichinho. Logicamente muitos desses upgrades faz perder a garantia já que tem que se abrir o computador mas mesmo assim pode-se colocar mais 1GB de memória RAM, pode-se colocar um SSD para mais espaço e até mesmo soldar um receptor Bluetooth. Ah sim, ele tem espaço debaixo dele para modem 3G (via celular).

Conclusão final: estou muito feliz com a Nicole. Tenho levado todos os dias para o meu curso de alemão e digitado as aulas e no trem para voltar, vou digitando o meu blog pois é incrivelmente leve. É mais leve que os meus livros de aula, por exemplo. Em Potsdamer Platz eu uso o WiFi de graça para navegar na internet e postar nos meus blogs online. Por enquanto atende perfeitamente para o que eu preciso sem mexer em nada. Valeu cada centavo investido.

Pesquise preços de: Acer Aspire One, Asus Eee, MSI Wind

postado via 3G

escrito por Bia Kunze em UMPC às 07:36 PM | Comentários (49) | Citações

agosto 12, 2008

Exclusivo: Inspiron 910, o UMPC da Dell

Semana que vem haverá uma coletiva da Dell brasileira para o anúncio do seu prometido ultra-mobile PC, que vinha sendo chamado de "Mini Inspiron" ou "Dell E". Como grande fã da Dell que sou (com um notebook e 2 PDAs no meu currículo), já garimpei algumas informações do Inspiron 910 (nome oficial do bichinho) e publico aqui com exclusividade para os leitores do blog.

1) O Inspiron 910 tem um processador Intel Aton de 1,6 GHz, com opções de 512 MB ou 1 GB de memória RAM, e SSD (ainda bem, prefiro memória flash, nada de HD, o que confere mais segurança e autonomia) de 4GB / 8GB / 12GB

2) Tela: LCD de 8,9" com TrueLife (resolução de 1024 x 600)

3) Wireless pode ser nos padrões G ou N, bluetooth estará nos opcionais

4) No teclado foi eliminada a fileira de teclas de função (F1, F2...F12), para que o espaço fosse melhor aproveitado, preservando o tamanho compacto dele sem detrimento do tamanho das teclas - algo que muitos usuários do Eee reclamam

4) Virá homologada para Windows XP SP2 e Ubuntu 8.04

5) Possui uma bateria de 4 células e peso médio de 1,07 Kg. Modem para linha discada será disponível apenas num modelo USB; webcam estará disponível nas resoluções de 0,3 e de 1,3 MP

4) Drive ótico, somente com gravador de DVD USB opcional

5) A máquina tem apenas 2 leds, um para bateria e outro para "ligado".

6) Conexões são basicamente as mesmas do meu Eee de guerra: 3 USBs, 1 VGA, slot para cartões SD / SD-HC / MMC / e MS e 1 RJ45 (o célebre cabo de rede, do qual meu Eee é virgem)

7) Uma coisa interessante: o conector para o cabo de segurança Kensington fica do lado esquerdo, perto da entrada do AC, ao contrário do Eee, que fica muito próxima da conexão VGA, o que impossibilita o uso de ambos ao mesmo tempo. Na parte de trás não há nenhuma conexão.

8) Entre a bateria e a máquina está "escondido", assim como em algumas máquinas atuais, um slot para um sim card. Nas máquinas Dell vendidas nos EUA, há um modem 3G interno opcional (presente no próprio "configure & compre" da Dell EUA). Na parte inferior interna da máquina (facilmente acessível), estão o SSD, a memória, a placa Wireless e um slot "WWAN", que serve justamente para o modem 3G. Imagina-se que modems adquiridos lá fora funcionem aqui, desde que quadriband.

9) O chipset usado será um Intel 945GSE, chip gráfico Intel 950, que usa uma base de 8MB de memória de vídeo fixa, chegando até 192 MB de memória de vídeo máxima, gerenciada de forma dinâmica.

10) A notícia ruim: o carregador (AC adapter) não é compatível com nenhum outro Dell, pois tem apenas 30W. Lembra mais um daqueles carregadores antigos da Nokia.

Por enquanto, vale lembrar que tudo isso é extra-oficial. Estou devendo as fotos, mas ele não é nada diferente do que vazou por aí, com várias cores disponíveis (inclusive preto para os mais discretos). Parece que sairá ainda esse mês, dia 22, e o preço da configuração mínima vai girar em torno de R$ 1.200. Mas parece que isso ainda nem entre eles está bem resolvido. Semana que vem teremos as novidades anunciadas na coletiva de forma "oficial" e vocês poderão conferir essa belezura.

Pesquise preços de: notebooks Dell, Asus Eee, notebooks HP

postado via 3G

escrito por Bia Kunze em UMPC às 01:37 PM | Comentários (47) | Citações

março 31, 2008

Review: Asus EEE PC 701 4G (parte III, a saideira!)

A terceira e última parte do review mostra um pouco do meu uso diário, customização do Windows XP e aplicativos em uso.

O que fazer com 4G de armazenamento?

O EEE não tem a finalidade de guardar todos os seus arquivos num lugar só, de modo que é preciso um pendrive ou cartão SD para armazenamento externo. O sistema ocupa mais da metade do espaço disponível, não sobrando muito para seus arquivos pessoais. No Windows XP, o espaço remanescente é ínfimo. Foi preciso remover todos os itens de sistema não utilizados, como suporte a redes e até o WMP.

Minha instalação personzalizada mantém apenas o básico do sistema (XP Professional, SP2), os drivers bluetooth, de impressora e o ActiveSync. Não sobrou quase nada de espaço, nem para hibernar. Pois é, sempre usei o sleep mode para poupar bateria e evitar boots demorados, mas agora não teve jeito. Sorte que esse windows magrinho não tem um boot tão demorado, só é preciso tomar cuidado para a bateria não acabar. Caso isso ocorra, ele trava.

Portable Apps

O que fazer com um Windows pelado? Simples, usar o pendrive cheio de Portable Apps! São aplicativos de código aberto executáveis a partir de dispositivos externos como pendrives e cartões de memória. Na minha seleção, estão instalados:

- Open Office, famoso pacote de escritório
- Firefox, navegador
- Thunderbird, excelente aplicativo de email
- Filezilla, um FTP
- VLC Media Player, um ótimo player que me fez desistir de ter um iPod Touch para ver meus filmes e seriados favoritos em viagens
- Pidgin, comunicador instantâneo compatível com diversos protocolos
- Audacity, gravador e editor de áudio

Ainda fui mais longe e coloquei o conversor e o visualizador do RepliGo. Apesar de não ter versão portable, o executável tradicional fez a instalação com sucesso. Confesso que eu ia sentir muita falta dele no Xandros. Ainda faltam alguns, como o Skype, que instalarei em breve.

Novidades: tela maior e Windows XP

O sucessor do Asus EEE PC 701 é o EEE 900, apresentado ao público há pouco tempo. É um pouco mais caro, custará cerca de U$ 600, mas vem mais turbinado: a tela é de 9" ao invés de 7", o armazenamento é de 12 GB e a RAM, 1 GB. Deve chegar ao mercado nesse 2° semestre. Outra novidade é que a Asus venderá nos EUA o EEE 701 já com Windows XP pré-instalado, que só acontecia no Japão. Com certeza as novidades aumentarão ainda mais as vendas da já bem-sucedida linha EEE!

Fotos comparativas com o MacBook Air

Não encaro o MacBook Air como concorrente do Asus EEE. Eles têm perfil e público muito distintos, e preço, mais ainda. No entanto, como se trata do "fino" contra o "nanico", vale a pena conferir as fotos que postei no meu Flickr, enviadas pelo leitor Fabio Andrade.

Mais links

Eu passei as últimas semanas procurando tanto por tanta coisa que ficou complicado agora dar crédito dos tutoriais para todo mundo. Sem falar nas dezenas de links que recebi de leitores via email e Twitter. Mais uma vez, agradeço a todos. Mas alguns sites se tornaram uma ótima referência para pesquisas. Além das dicas aqui citadas, há muito mais coisa legal para descobrir e aprender. Recomendo os sites www.eeeuser.com, www.myasuseee.com e www.eeebrasil.com para quem quer aprender tudo sobre a familia EEE. Aqui tem um link bem interessante sobre o Claro 3G no Asus e aqui um review técnico bem detalhado.

Espero que tenham gostado desse imenso review. Tentei abordar o lado mais prático, para quem não ficasse igual às dezenas de reviews técnicos publicados por aí. Continuarei postando coisas sobre o EEE na seção UMPC do blog e estou à disposição de todos para dúvidas.

Pesquise preços de: Asus EEE, Windows XP, notebooks com Linux

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 01:28 PM | Comentários (35) | Citações

março 25, 2008

Review: Asus EEE PC 701 4G (parte II)

Continuando o review do Asus EEE, seguirei falando da minha experiência com dois sistemas operacionais - o Xandros original e o Windows XP, além de complemenar com dúvidas enviadas por leitores.

Multimídia no Xandros

Eu adorei o Xandros, sistema operacional que acompanha o produto. Simples, leve, intuitivo ao extremo. Adorei mais ainda o fato dele já suportar nativamente mp3 e filmes em DivX. Pode par4ecer bobagem aos experts do mundo do Pinguim, mas para um leigo, não ter que recorrer a codecs e repositórios para algo tão básico é um alívio. Aliás, a maioria dos leigos nem sabe disso - cansei de ouvir histórias de gente que reclamou da compra de PCs populares, por eles virem "com problemas", referindos ao suporte multimídia. O mais triste ainda é ver que a solução proposta por "assistências técnicas" por aí é simplesmente instalar Windows no lugar. Nós até sabemos que as coisas variam conforme as distribuições usadas, mas quem vai avisar (ou pior, ensinar) isso à tia Maria? O Xandros não teve esse problema, ele passa com louvor nos mais rigorosos "testes de mãe". Mas ainda assim, quem quiser deixar a interface mais elaborada, com menus drop-down e área de trabalho ao invés de abas, pode usar o Xandros em desktop mode - que tem um jeitão mais KDE, que é a "base" do Xandros:

O desktop mode exige a instalação de alguns pacotes para ser ativado. Isso pode ser feito da seguinte forma:

1 - Abra uma janela de terminal, apertando simultaneamente Ctrl + Alt + T
2 - Digite sudo bash
3 - Digite apt-get update
4 - Em seguida, digite apt-get install kicker e pressione a tecla Y para confirmar, quando solicitado
5 - Digite apt-get install ksmserver e pressione Y para confirmar, quando solicitado
6 - Digite exit
7 - Digite exit novamente para sair do terminal.

Ao clicar no botão Power On / Off, pode-se escolher o ícone correspondente para acessar o Desktop Mode, bem como alternar para o Easy Mode (o modo nativo, com abas).

Tela

Além da impossibilidade de conexão com celulares Windows Mobile, o segundo problema grave do Xandros: certos menus de aplicativos simplesmente não suportam a resolução padrão de 800 x 480. Aconteceu com o Thunderbird e o Adobe Reader: simplesmente não dava para rolar as janela. Quebrei a cabeça e não teve jeito de fazer funcionar. Isso se tornou um incômodo muito grande, pois no Adobe Reader não havia mais jeito de selecionar os modos de impressão dos formulários de meus pacientes.

Depois de algum tempo fuçando muito net afora, descobri que a rolagem das janelas que ultrapassam os limites de visualização pode ser feita pressionando-se o mesmo tempo a tecla Alt, o botão esquerdo do touchpad e, junto, movimentar o cursor nele. Fiquei furiosa de não ter achado isso nos arquivos de ajuda do prõprio Xandros. O mesmo vale para abrir a tela do terminal, que, diferente de outras distribuições, é feita via Ctrl + Alt + T.

No Windows XP acontece o mesmo problema de tela, mas graças ao Asus EEE Utility, que fica na bandeja do sistema, consigo fazer a página rolar na opção de resolução 800 x 600 com um clique.

Teclado e mouse

Conforme eu falei antes, demorei um pouquinho para me adaptar ao teclado, mas hoje digito esse review com razoável destreza. O touchpad, igualmente minúsculo, também causou um pouco de estranheza no início. Cheguei a pensar em usar um mouse à parte. Aí pensei com meus botões: já carrego um pendrive e um dongle bluetooth. Transformei-os em chaveiros para não perdê-los ou esquecê-los, mas não tem jeito, são acessõrios indispensáveis. Será que realmente preciso de um mouse ou isso não seria frescura minha: Afinal, ficar carregando coisinhas para lá e para cá é querer matar a portabilidade. Lembrei também que no final de 2004, com meu primeiro notebook, estranhei o pad no lugar de anos e anos só usando mouse.

Dei mais uma chance ao micropad do Asus e não deu outra, logo estava me sentindo em casa. Não sei se meu exemplo é vãlido parta todo mundo, mas para minhas mãozinhas pequenas, trabalhar com o EEE hoje não é nenhum suplício. Ao contrário, hoje acho o teclado até macio e o touchpad com ótima resposta.

Sobre a acentuação, a Asus não tem versão do EEE com o layout de teclado usado no Brasil (ABNT2), ou seja, não existe a tecla ç e a disposição dos acentos e símbolos é diferente. Sinceramente, nem alimentem chances de ter um EEE com teclado brasileiro, mesmo que ele veja oficialmente para cá. O jeito é configurá-lo para funcionar corretamente do jeito que vem e se habituar com isso. Para mim, confesso que não é nada fácil. Meu note da Dell é ABNT e meu teclado bluetooth do PDA tem um modo próprio de acentuação a partir de combinação de teclas. Agora com o Asus, vejo-me com mais um tipo diferente.

O Asus não vem de fábrica configurado para acentuar, assim, é preciso fazer mais alguns ajustes. Na aba Settings, clique em Personalization e confira se a opção Keyboard Layout está configurada para English/International. O ideal é que se faça isso logo nas configurações iniciais, ao fazer o ligar o EEE pela primeira vez. Mas se dentro desse menu a opção English/Internacional não estiver selecionada, selecione-a e clique em Ok e Ok novamente. Vá à aba Work e clique em Documents. Em seguida, pressione as teclas Ctrl + Espaço ao mesmo tempo. Aparecerá uma barra com a informação English/European vai no canto inferior direito da tela. Feche o programa Documents (que, na verdade, é o editor de textos Writer do OpenOffice.org) e, na barra de tarefas (parte inferior da tela), localize o item Input Method. Clique com o botão da direita do touchpad sobre este ícone e, em seguida, no item SCIM Setup. Na janela que surgir, vá em Global Setup, especifique o item Keyboard Layout para Portuguese (Brazil US accents), marque a opção "Share the same input method among all applications" e clique no botão com as reticências, na frente da opção Trigger. Agora, clique em Delete e em Ok. Clique na opção GTK e, no menu Show, selecione a opção Never. Na parte inferior da janela, clique no botão Apply, em Ok e em Ok novamente. Agora, basta reiniciar o sistema.

Vale lembrar que para digitar a tecla ç, basta pressionar Alt + vírgula.

Uma super bateria

Outro item que me impressionou bastante no EEE foi a autonomia da bateria. Não sei precisar quanto ela dura exatamente, mas na faculdade, das 19 às 22.30h, dá e sobra - inclusive com o wifi ligado boa parte do tempo. Uma vez que no consultório uso o EEE na tomada, vou para a aula sempre com a bateria cheia.

Porém, quando instalei o XP, notei um decréscimo na autonomia. Prova que o sistema operacional interfere mesmo no consumo de energia de um portátil. Mesmo assim, não é nada alarmante, posso continuar dispensando a fonte quando for à faculdade. O Asus vai na minha bolsa, sem chamar a atenção nem fazer volume.

Conexão com celular

Conforme vocês estão carecas de saber, infelizmente não consegui usar meu Windows Mobile como modem. Pelo que averiguei, isso acontece só com o Windows Mobile. Conheço muita gente que foi bem sucedida com aparelhos Symbian, Motorola A1200i e aqueles modemzinhos 3G USB. O Xandros até que permite que se crie facilmente novas conexões, e testei diversos tutoriais em fóruns web afora. Curioso que cada tentativa mal-sucedida de criar uma conexão gerava um ícone diferente no meu sistema. O resultado final foi cômico...

Não acabou, não! Na terceira e última parte falarei sobre minha customização do Windows XP nos 4 GB internos e uma seleção especial de aplicativos, o novo Asus com tela maior (recetemente lançado) e minhas considerações finais.

Pesquise preços de: Asus EEE, Windows XP, notebooks com Linux

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 09:51 PM | Comentários (55) | Citações

março 20, 2008

Review: Asus EEE PC 701 4G (parte I)

Em primeiro lugar, perdoem-me pelo atraso tão grande no review do Asus. Tive que replanejar toda minha rotina nessas últimas semanas. A compra do Asus EEE PC 701 não foi apenas em busca de mais mobilidade, mas de qualidade de vida.

Quem acompanha meu Twitter sabe que há cerca de um mês troquei o carro pela bike para ir trabalhar todos os dias. Tem sido uma experiência fantástica, mas que trouxe alterações profundas na minha rotina de trabalho e estudos. Como dependo muito de tecnologia móvel para exercer satisfatoriamente minha vida de profissional e estudante, a adaptação penosa ao Asus EEE atrasou tudo. Devagarinho estou recolocando todas as minhas pendências em dia, mas confesso que essa adaptação não era para ser penosa. Foi um pouco chato e decepcionante ter que trocar o Xandros pelo Windows XP. Afalta de banda larga atrapalhou muito também nessa adaptação, mas paciência. O tema “sistema operacional”, que é algo para lá de melindroso, ficará para o próximo post, na continuação deste review. Por enquanto, vou me ater ao hardware e nas aplicações básicas.

No Podsemfio n.60 relatei um pouco da minha experiência com o Asus, e estou recebendo muitos emails e twitts com dúvidas. Estou guardando tudo, e neste e nos próximos posts (e podcasts) seguirei sanando todas as dúvidas de vocês.

Assim que o Asus EEE rosinha chegou, me apaixonei. Pequeno, levíssimo, funcional, só podia dar em amor à primeira vista. A loja onde o comprei me atendeu muito bem, o produto chegou um dia antes do previsto, com nota fiscal e garantia. O preço final, à vista e com desconto, foi de R$ 1.047,00. O modelo que eles disponibilizam é o de 4G, o que tem o melhor custo-benefício. Não recomendo o modelo 2G Surf, pois uma série de funcionalidades foi removida. Apesar de eu ter feito a compra online, eles também têm uma loja física com pronta-entrega.

O EEE tem extamente a metade do tamanho do meu Dell Latitude D510 e menos da metade do peso. Não preciso de nenhuma bolsa especial, mesmo as minhas menores bolsas estilo mochilinha o abrigam bem, sobrando espaço para outras coisas. Finalmente posso deixar o carro em casa e usar a bicicleta para ir trabalhar diariamente.

Mas como fica a ergonomia num sub-notebook tão pequeno? No início estranhei e tela minúscula e o teclado reduzido. Mas em 2 ou 3 dias já estava habituada com a tela e errando menos na digitação. Sim, as teclas são menores que o padrão. Quem está acostumado com teclados convencionais estranha bastante. Creio que quem tem mões grandes pode encontrar dificuldades sérias. Não foi o meu caso. Em 1 semana de uso, já escrevo com relativa agilidade.

Onde levo o bichinho, ele faz sucesso. Apesar de algumas pessoas já o terem chamado de “notebook da Barbie” ou “da Xuxa”, o público feminino é o que mais se encanta com meu EEE rosinha. Se eu abri-lo num lugar movimentado, invariavelmente uma moçcoila curiosa aparece fazendo perguntas. Já perdi as contas de quantas vezes passei meu email para potenciais novas usuárias.

Usar o Xandros é muito fácil. Ele já vem com todos os aplicativos básicos para trabalhar e estudar: pacote de escritório (OpenOffice), comunicador instantâneo (Pidgin, compatível com MSN, Yahoo, Gtalk e outros), Skype, navegador (Firefox), programa de email (Thunderbird), leitor de ebooks, PDFs e uma série de games e aplicativos educacionais. Conectar-se à redes sem fio também é ridículo de fácil. E, por fim, não tive problemas ao usá-lo para imprimir documentos em dois multifuncionais diferentes, um da HP e outro da Epson.

O primeiro problema de uso que encontrei foi a acentuação. Ele não chega de fábrica acentuando na língua portuguesa. Mas felizmente consegui configurar a acentuação através de comandos na própria interface gráfica, sem ter que recorrer a janelas de terminal.

O Asus EEE vem igualmente prontinho para diversão e multimídia: ele tocou nativamente músicas em MP3 e WMA que eu tinha no meu pendrive e abriu vídeos DivX sem problemas. Fiquei surpresa ao constatar que ele rodou um episódio de Lost de mais 300 MB sem engasgar, com boa imagem e som. Foi este o motivo de eu ter desistido de comprar um iPod Touch. Eu queria uma tela maior que a do iPod vídeo para aplacar um pouco o tédio nas minhas longas viagens. Mas com o EEE, concluí que um player dedicado seria redundante.

Falando em imagem e som, o EEE já vem com webcam e microfone. Dá para fazer videoconferências no Skype sem nenhum acessório a mais. Gravei e editei áudio sem nenhuma dificuldade, como vocês puderam constatar no último Podsemfio. Ainda assim, recomendo plugar um fone de ouvido com microfone para melhor qualidade.

Não conte com a memória interna para armazenar muita coisa. Boa parte dos 4 GB é ocupada pelo próprio sistema e aplicativos. Um pendrive se faz mais do que necessário. Caso você decida comprar um EEE, aproveite os preços baixos e das memórias flash e encomende o pendrive mais espaçoso que encontrar.

De fato, a sigla EEE faz sentido: Easy to learn, Easy to play, Easy to work. Para 99% dos usuários, o que vem de fábrica já é mais do que suficiente para gerenciar sua vida digital. Mesmo o usuário mais leigo do mundo, habituado ou não ao Windows, se ambienta ao Xandros em poucos minutos. Comprovarei isso em breve com um teste de mãe, e postarei os resultados aqui no blog.

Porém, se o usuário precisar de mais coisas além do que já vem no Xandros, a experiência pode ser um pesadelo.

Mas isso ficará para o próximo post. Por enquanto, quem me companha pelo Twitter vai sabendo do andamento da novela: apesar de ter seguido centenas de tutoriais web afora, ter ouvidos dicas e conselhos de open-colegas e até ter deixado dois amigos linuxeiros mexerem nas configurações, o EEE com Xandros não se conectou ao meu smartphone HTC Touch para navegar na web. Acreditem, fiz de tudo, apelei a vários experts. O último deles concluiu que de fato o Xandros não está pronto para conexão com aparelhos Windows Mobile, a não ser que se alterasse códigos de programas e recompilasse kernel. Foi essa minha insistência na busca de uma solução que atrasou todo o meu trabalho. Imaginem, sem banda larga nem celular, quase que absolutamente offline! A conexão móvel via EDGE é essencial na minha rotina. Sem isso, por mais fofo que seja o Xandros, eu não conseguiria trabalhar. Com imensa dor no coração, migrei. Mas já deixo aqui o apelo aos desenvolvedores open source: por favor, façam que o Linux seja mais intuitivo com conexões móveis de TODAS as plataformas!

Enquanto isso, as fotos do “rosinha” estão no meu Flickr. Em breve eu volto com a parte II do review, falando um pouco da minha experiência com o Windows XP e alguns screenshots do Xandros.

Pesquise preços de: Asus EEE; notebooks com Linux; HTC Touch

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 11:23 AM | Comentários (57) | Citações

fevereiro 26, 2008

Asus EEE: o que pesou na escolha

Conforme avisei no Twitter, acabei cedendo ao Asus EEE. Recebi dezenas de perguntas desde então, e procurarei explicar nesse post o que pesou na escolha desse gadget para cumprir a função de "mobile companion", uma espécie de extensão do meu smartphone.

Depois de alguns meses guardando um dinheirinho, veio o dilema: compro o Asus EEE ou o iPod Touch de 32 GB? Embora o Touch tenha um apelo sexy irresistível, pesou a razão sobre a emoção na hora da escolha. O Asus vai me ajudar a trabalhar melhor.

Meu notebook me atende perfeitamente bem hoje, não tenho planos de troca. Mas gostaria de um gadget intermediário para levar na rua. No consultório, o que uso é browser (para liberação de tratamentos online dos planos de saúde dos pacientes), editor de texto (para impressão de receituários) e planilhas (controle de caixa). O mais importante de tudo: ter um Asus EEE significaria 1,3 kg a menos na mochila para ir trabalhar. Finalmente poderei trocar o carro pela bike todos os dias, já que a academia não coube na minha agenda lotadíssima de 2008!

Na faculdade, preciso acessar a intranet da instituição e manipular documentos Office. Com o Asus, deixarei a mochila em casa para ir às aulas, usando apenas uma bolsa discreta.

As demais tarefas do meu dia-a-dia, como banco de dados, emails, blog, PIM, e anotações do OneNote Mobile, meu HTC Touch continuará gerenciando. O sincronismo de agenda, contatos e tarefas é todo via Exchange, assim, não preciso me preocupar com ActiveSync. O Asus EEE será o "mobile companion" perfeito para o Touch!

Memória

O Asus EEE tem apenas 4 GB de memória, assim, um dispositivo extra de armazenamento é crucial. Por enquanto sigo usando meu chaveiro de 2 GB para instalar alguns programinhas estilo portable, como FTP e Audacity. Mas para armazenamento de documentos, nada pode ser melhor que o próprio HTC Touch, turbinado recentemente com um microSD de 6 GB. O tempo dirá se é suficiente.

Linux ou Windows XP?

Não tenho a menor intenção de usar Windows no Asus EEE. Mas estou com receio de não conseguir fazer o HTC Touch servir de modem bluetooth para ele. Infelizmente, se isso acontecer, terei que trocar de sistema operacional. Quase todo meu uso de internet a trabalho é feito via EDGE da Claro. Outra preocupação é a conexão USB com o multifuncional HP do consultório, mas creio que isso será mais simples de resolver.

Bem, por enquanto eu apenas fiz a compra do Asus numa loja online. Queria um pouco de cor na minha vida, então, escolhi o modelo rosa. Sim, rosa, e não pink. Como a cor fica só na tampa, o resultado final é discreto e feminino. Vai ajudar a quebrar um pouco o meu estigma de nerd robótica na faculdade. Como terei que esperar até 5a para ele chegar, não recomendarei a loja por enquanto - vai que eles pisam na bola? Mas assim que o bichinho chegar, postarei muitas fotos, as primeiras impressões e todos os detalhes. Aguardem!

Pesquise preços de: Asus EEE PC, HTC Touch, pendrive 8 GB

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 03:27 PM | Comentários (51) | Citações

fevereiro 11, 2008

Mais lançamentos na MWC 2008


HTC P3470

Está explicado porque a CES foi tão mixuruca em novos smartphones. Todo mundo guardou as novidades para o Mobile World Congress!

- Além do primeiro Sony Ericsson rodando Windows Mobile, o XPERIA X1 do post anterior, surgem na área mais 6 modelos. Dois deles, o C702 e o C902, seguem o estilo Cybershot de celulares fotográficos. A diferença é que agora eles vêm com Symbian UIQ. Mas pelo visto, eles ficaram na sombra do XPERIA mesmo, que está ganhando toda a atenção da mídia.

- O XPERIA tem sido chamado por aí de competidor do iPhone. Mas será o Benedito? Agora todo aparelho com tela grande sensível ao toque e sem teclado "é para competir com o iPhone"? Hello! Ninguém mais lembra do Palm Pilot e de todos os outros inúmeros Palms que vieram depois?

- Upgrade na linha Advantage da HTC (foto acima): o novo modelo X7510 agora vem com 16GB de memória flash. Para quem gosta dos Advantage, vale lembrar que o modelo X7501 será vendido aqui pela HTC Brasil. Só data não temos ainda.

- Já que falamos de UMPCs da HTC, o HTC Shift finalmente saiu. Por 1119 euros (ai!). Muito se falou nesse aparelho, que nem sei bem classificar se seria um UMPC ou mini-notebook mesmo. Bem, depois de quase 1 ano de especulações em cima do lançamento, será que ele já não nasceu defasado?

- GPS em smartphones vieram para ficar mesmo! Outro lançamento da HTC, o P3470 (sem codinome amigável por enquanto), é um Windows Mobile Professional que vem com GPS embutido, mas própria a fabricante o classifica de entry-level. Faz sentido, pois não tem 3G nem wi-fi. Mas tem GPS. Quem diria, heim?

- Os lançamentos da Motorola são tão ridículos que os rumores de que ela pararia de fabricar celulares agora soam verdadeiros para mim. Será que a Motorola vai mesmo jogar a toalha?

Tem lançamentos da Nokia também. Daqui a pouco eu volto para comentá-los.

Pesquise preços de: HTC Advantage, smartphones com GPS, Sony Ericsson

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em Smartphone às 02:18 PM | Comentários (15) | Citações

outubro 26, 2007

Asus EEE PC 701 oficialmente no Brasil! Adivinhem quanto?

Lembram do Asus EEE PC 701, o ultra-mobile de U$ 200 citado várias vezes aqui no blog? Ele já é um sucesso na Ásia. A novidade é que a Asus vai vendê-lo aqui no Brasil em breve!

Eu mesma já estaria com um em mãos, não fosse o fato dele se esgotar rapidamente em todas as lojas asiáticas que aparece.

Lançado há poucas semanas, o EEE PC está disponível em 3 versões: todas com processador Intel de 900 MHz, 512 MB de RAM, monitor LCD colorido de 7 polegadas (com resolução de 800 x 480 pixels) e Linux, só variando a memória flash interna, que substitui o HD. Os preços também variam conforme as versões, que podem vir com 4, 8 ou 16 GB.

Até que veio a boa notícia: a Asus pretende lançá-lo no Brasil!

Era bem o que eu queria: uma máquina leve e barata, com telona e teclado full, para poder escrever meus textos e postar no blog. Só com o básico mesmo, para eu poder viajar pelo interior do país escrevendo meu livro e para andar em São Paulo sem medo.

Tão rápido quanto minha empolgação surgiu, ela minguou. Ainda não há datas de lançamento, mas o bichinho já tem preço definido. O modelo mais básico, de U$ 200, aqui custará... R$ 1.099!

Eu ia fazer um discurso enorme xingando nossa carga tributária, o governo e o diabo. Mas estou morrendo de preguiça. Quando sair daqui do consultório logo mais, ainda tenho que arrumar as malas, pois hoje vou para Sampa de volta. Por favor, desabafem e xinguem por mim, pois desanimei totalmente com o EEE.

Mais sobre ele, aqui.

Pesquise preços de: Palm Treo 680, Palm Treo 700wx, acessórios para Treo

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 08:40 PM | Comentários (49) | Citações

Asus EEE PC 701 oficialmente no Brasil! Adivinhem quanto?

Lembram do Asus EEE PC 701, o ultra-mobile de U$ 200 citado várias vezes aqui no blog? Ele já é um sucesso na Ásia. A novidade é que a Asus vai vendê-lo aqui no Brasil em breve!

Eu mesma já estaria com um em mãos, não fosse o fato dele se esgotar rapidamente em todas as lojas asiáticas que aparece.

Lançado há poucas semanas, o EEE PC está disponível em 3 versões: todas com processador Intel de 900 MHz, 512 MB de RAM, monitor LCD colorido de 7 polegadas (com resolução de 800 x 480 pixels) e Linux, só variando a memória flash interna, que substitui o HD. Os preços também variam conforme as versões, que podem vir com 4, 8 ou 16 GB.

Até que veio a boa notícia: a Asus pretende lançá-lo no Brasil!

Era bem o que eu queria: uma máquina leve e barata, com telona e teclado full, para poder escrever meus textos e postar no blog. Só com o básico mesmo, para eu poder viajar pelo interior do país escrevendo meu livro e para andar em São Paulo sem medo.

Tão rápido quanto minha empolgação surgiu, ela minguou. Ainda não há datas de lançamento, mas o bichinho já tem preço definido. O modelo mais básico, de U$ 200, aqui custará... R$ 1.099!

Eu ia fazer um discurso enorme xingando nossa carga tributária, o governo e o diabo. Mas estou morrendo de preguiça. Quando sair daqui do consultório logo mais, ainda tenho que arrumar as malas, pois hoje vou para Sampa de volta. Por favor, desabafem e xinguem por mim, pois desanimei totalmente com o EEE.

Mais sobre ele, aqui.

Pesquise preços de: Palm Treo 680, Palm Treo 700wx, acessórios para Treo

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 08:40 PM | Comentários (49) | Citações

julho 04, 2007

Asus Eee PC 701 em detalhes

Como recebi muitos emails com dúvidas a respeito do ultraportátil da Asus, decidi fazer mais esse post para saná-las e acrescentar outros detalhes técnicos.

O Eee PC tem monitor de 7", processador Intel, de 900 MHz, baseado em Pentium M, memória de 512 MB e, para armazenamento, haverá versões com disco flash de 4, 8 ou 16 GB. É justamente a ausência de HD que o torna tão barato. Esse problema pode ser contornado com o uso de memórias flash adicionais (ele tem slot SD), pendrives etc, hoje bem em conta.

Quem achá-lo com jeitão do Classmate, saiba que não é mera coincidência. A intenção da Asus é competir diretamente com o projeto OLPC. A diferença do Asus está na distribuição Linux que trará - ao além dos estudantes, foca também o usuário comum que quer um pouco mais de mobilidade.

Levíssimo, pesando apenas 890 g, ele também é fininho e menor que um caderno universitário. Tem 22,5 cm de comprimento por 16,5 de profundidade, e espessura de 3,5 cm com a tela fechada. Mesmo assim, sua interface não deixa a desejar: além do teclado padrão e um pequeno trackpad, vem com 2 portas USB 2.0, entrada e saída de áudio, saída VGA, leitor de cartões SD, entrada para rede Ethernet 10/1000, modem discado de 56K e wi-fi. A bateria de 4 células, segundo a Asus, garantirá 3 horas ininterruptas de trabalho. Espero que criem baterias extras como acessórios, pois para um ultramobile, achei pouco.


Clique nas imagens para ampliá-las.

A dúvida que mais me preocupa é que, como ele não vem com modem de nenhum tipo, apenas a interface, é se conseguirei usá-lo com o modem da Vivo ou ligando-o a um smartphone. Não conheço nada sobre esse sistema operacional Xandros, estou pesquisando mais sobre ele.

Pelo que apurei, a interface do Xandros é bem simples e funciona a partir de abas. Nas imagens de demosntração do protótipo, como a da foto acima, nota-se as abas "Internet", "Trabalho", "Aprendizado", "Jogos", "Configurações" e "Favoritos". Alguns de seus aplicativos são o pacote de escritório Open Office, o navegador Firefox e até o Skype! Li ainda que o boot desse sistema leva apenas... 15 segundos! Linuxeiros que tiverem mais detalhes, me confirmem isso, por favor.

Especificações no site da Asus. Mais fotos legais, aqui. O lançamento está previsto para acontecer em julho ou agosto.

Por fim, aqui temos mais algumas fotos de tela do Linux que roda nele. Muito legal!

Pesquise preços de: PCs com Linux, notebooks com Linux, notebooks Asus

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 04:06 PM | Comentários (67) | Citações

julho 03, 2007

Sucessor do TyTN no Brasil

O Qtek 9100 em breve sairá do catálogo das operadoras brasileiras, e, ao contrário do que muita gente pensa, ele não será subsituído pelo HTC TyTN, que foi sucesso absoluto na Europa (com o nome de Qtek 9600) e nos EUA (como Cingular 8525).

O substituto do Qtek 9100 no Brasil será o HTC Kaiser, esse da fotona aí em cima, o sucessor do TyTN. Tem quase todas as mesmas especificações poderosas do TyTN (vejam detalhes aqui), mas já virá com WM6 e o mais legal: a tela se reclina para cima!

Além do HTC Kaiser, teremos por aqui também o UMPC HTC Shift, que é simplesmente lindo. Se bem que, rodando Windows Vista e tendo um teclado full, tenho minhas dúvidas em classificá-lo como UMPC. Lá fora o preço é de U$ 1.000. Quanto será que custará por aqui? Ugh!

No exterior fala-se também no Shangri-la (X9500), um UMPC que roda Windows Vista e Windows Mobile simultaneamente. Como, não sei, ainda estou tentando compreender! Vejam aqui os detalhes e as especificações. Essa semana quero falar mais aqui lo blog de outros UMPCs, como o Asus Eee PC 701 (que já citei), o Nanobook e outros.

Pesquise preços de: Qtek, HTC, Windows Vista

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em Windows Mobile Phone às 11:09 AM | Comentários (17) | Citações

junho 22, 2007

Ultraportátil sim, ultracaro não

Aproveitando o gancho do Advantage, cujo review terminei essa semana, estou dando uma olhadinha nos UMPCs (Ultra Mobile PCs) conforme prometido. A boa surpresa é que ultraportátil não é sinônimo de ultracaro, há modelos bastante aprazíveis para todo tipo de bolso.

O ultraportátil perfeito para mim não precisa ter desempenho máximo nem funções avançadas demais, pois não quero abandonar meu notebook, que continuará sendo minha máquina principal em casa e no consultório. Mas para viagens, faculdade e atendimento móvel, quero uma máquina que seja pequena e leve suficiente para caber numa bolsa feminina (nada de mochilas), rode um sistema operacional full, tenha teclado padrão (nada de thumboards) e o mais importante, tenha a melhor autonomia de bateria possível. Como minhas exigências são de uma máquina para tarefas básicas (e muita entrada de texto), felizmente o preço não vai às nuvens.

Resolvi mostrar aqui no blog modelos interessantes por preços bem simpatiquinhos! Hoje vou falar do Asus eee PC 701.

Prestes a ser lançado a preço sugerido de U$ 200, esse ultracompacto da Asus está no topo do ranking de preferência dos UMPCs atualmente, segundo o UMPCportal.com. Vem com Pentium-M de 900 MHz, 512 MB de memória e, no lugar do HD, uma flash de 4 GB. O display é de 7", com resolução máxima de 800 x 480. Tem slot para cartão SD, portas USB, câmera embutida e autonomia de cerca de 3 horas. Pesa entre 800 e 900 g.

Esse Asus virá com uma distribuição de Linux chamada Xandros, parece, mas isso poderá ser mudado com o gosto do usuário, que poderá usar Windows XP. Não tem bluetooth nem aceita chip GSM 3G, mas vem com wi-fi. Enfim, uma máquina bem básica, mas com preço imbatível, menos que muito smartphone por aí.

Essa linha da Asus inclui outros ultraportáteis parecidos, voltados para mercados emergentes, com fins educacionais. Mas pelo marketing que a Asus faz desse modelo, especificamente, o público feminino também é o alvo do 701. Pudera, ele é muito bonitinho. Para nós, mulheres que ralamos muito, trabalhando e estudando, é um ótimo (e discretíssimo) portátil para o dia-a-dia corrido.

Vejam um vídeo promocional dele:

Nos próximos posts, falarei de mais UMPCs legais.

Pesquise preços de: PCs com Linux, notebooks com Linux, softwares Linux

postado via gprs / edge

escrito por Bia Kunze em UMPC às 03:43 PM | Comentários (25) | Citações

junho 20, 2007

Vai de notebook, UMPC ou PDA?

Aproveitando que estamos na Semana da Mobilidade, gostaria de passar para vocês algumas impressões minhas sobre os atuais notebooks, UMPCs e PDAs do mercado. Você já sabe qual é o melhor para sua vida digital?

Até um tempo atrás, para ter um notebook que estivesse de bem com o seu bolso, você precisava definir se escolhia um modelo pequeno, leve, caro e com desempenho fraco ou um grande, pesado, caro e ultrapoderoso. Ultrapoderoso em termos, afinal, eles sempre ficavam atrás dos desktops em termos de desempenho. Hoje temos notebooks completos e poderosos pesando cerca de 2 kg apenas, e notebooks levíssimos e pequeninhos pesando pouco mais de 1 kg mas com excelente desempenho, não havendo impeditivo nenhum para funções multimídia. E o melhor de tudo é que os preços estão cada vez menores.

E os UMPC - Ultra Mobile PCs? A quem se destinam? O que fazem exatamente? Os usuários de tecnologia móvel em geral ainda se acham meio perdidos sobre a real função desses dispositivos. Depois da minha experiência com o HTC Advantage, que vocês viram aqui no blog, fiquei especialmente interessada nos UMPC.

Creio que eu tenha o perfil ideal de usuária: quero manter meu notebook para o dia-a-dia, mas como tenho feito viagens curtas cada vez mais freqüentemente, eu gostaria de um aparelho bem pequeno, barato e que rodasse um sistema operacional "full", como Windows ou Linux. Não ligo para drives de CD ou DVD, prefiro somente os HDs ou - melhor - memória flash. Quero editar e publicar meus textos em trânsito, me conectar à web sem fios (seja por wi-fi ou conectando-me ao meu smartphone), ler e responder e-mails, baixar meus podcasts favoritos no iTunes e sincronizá-los no iPod, navegar num browser full e gravar e editar meus podcasts.

O lançamento do Palm Foleo chamou a atenção de muita gente para essa categoria que eu denomino de "supermobilidade", mas eu não gostaria de um "smartphone companion". Novidades estão surgindo quase todos os dias no ramo dos UMPCs; estou analisando os maravilhosos modelos de novos ultraportáteis (alguns por até U$ 200!) e no decorrer dessa semana quero falar um pouquinho mais de cada um aqui no blog. Tenho certeza que vocês vão adorar.

Já os PDAs, coitadinhos, estão saindo de moda, culpa dos smartphones. E como todo mundo quer um híbrido leve e pequeno, já que o celular é um acessório inseparável, diversas funções que os PDAs cumpriam divinamente estão sendo esquecidas. Editar documentos, textos e escrever e-mails é o exemplo mais comum. Vejo cada vez menos gente com a dupla PDA e teclado em ação. É para esse pessoal que os UMPC ou "micro notebooks" são uma ótima opção!

A dupla perfeita para os profissionais móveis, na minha opinião, é notebook ultraportátil + smartphone.

E para vocês, qual a melhor solução?

Pesquise preços de: notebooks com Windows Vista, notebooks com Linux, acessórios para notebooks

postado via wi-fi

escrito por Bia Kunze em UMPC às 12:34 PM | Comentários (20) | Citações